segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Até Quando? - Juntas pela Igualdade

Ontem, estava eu no ônibus vindo para casa. Tive de brinde para um dia já estressante, um temporal, e como de praxe em dias de chuva, engarrafamento.
Calor sufocante, engarrafamento, fome... Nada disso foi tão incômodo quanto a frase que ouvi uma senhora dizer a sua filha pequena: "Seu irmão é homem, ele pode. Você não".


Por anos tenho ouvido de inúmeras pessoas, que nós, feministas queremos demais, que todos os direitos já foram conquistados pelas mulheres, que o que queremos agora, são privilégios. Como podem pensar isso? Como podem aceitar que diariamente milhares de pais e mães digam a suas filhas que elas não podem fazer algo, por serem mulheres?

Desde quando o gênero define o que uma pessoa pode realizar ou não? A resposta? Infelizmente, desde sempre. Desde sempre a sociedade vê a mulher como um ser inferior, apesar de muitos negarem veementemente. A pergunta certa é: Até quando? Até quando permitirmos que isto aconteça.

E infelizmente um número enorme de pessoas não só permitem como incentivam que isso aconteça. Incentivam dizendo a suas filhas que não podem fazer algo por serem mulheres, incentivam dizendo coisas como "isso não é coisa de mulher", fazendo-as acreditar que a culpa será delas se forem estupradas, fazendo-as acreditar que a felicidade da mulher está obrigatoriamente ligada ao casamento e filhos. Como disse Simone Beauvoir, “O opressor não seria tão forte se não tivesse cúmplices entre os próprios oprimidos”. E ela estava certa, certíssima.

Não, não estou dizendo que a mulher não possa ser feliz com marido e filhos. Claro que pode. Mas pode ser feliz de inúmeras outras formas também, da forma que ela escolher. Priorizando a vida pessoal ou profissional, casando ou vivendo solteira, em casa ou viajando pelo mundo. A grande questão é que a mulher PODE! Pode ser o que ela quiser, no momento que quiser.
E se eu tivesse a oportunidade de dizer algo a essa menininha, diria: "Aprenda, querida, que você pode tudo. Desde que não prejudique o próximo ou vá contra os seus princípios”.

É por essas e outras, que acredito que a sociedade tem muito a melhorar, que nós, mulheres precisamos aprender a lutar por nós mesmas, a não nos aliarmos aos opressores, mesmo que involuntariamente, por medo de não sermos aceitas.
Essa mulher, essa mãe que disse essa frase tão abominável, estava apenas reproduzindo um discurso de opressão que ouviu durante toda a sua vida. Nossa obrigação é fazer o possível para que esses discursos machistas não sejam mais ouvidos e reproduzidos, mas sim, discursos de igualdade. Porque afinal de contas, nós somos iguais, com as mesmas capacidades... Só que ainda não com os mesmos direitos... Ainda ;)

16 comentários:

  1. Eu concordo que algumas situações são bem mais perigosas para mulheres do que para homens, como andar sozinho durante a noite, por exemplo. Isso está totalmente errado, com certeza, mas existe... Continua sendo uma realidade apesar de estar errada, pois todos deveriam ter o direito de andar sozinhos a hora que quiser sem correr perigo nenhum!

    Esse tipo de pensamento de que uma mulher precisa casar e ter filhos é completamente sem sentido, na minha opinião. Cada um segue a vida do jeito que deseja e ninguém deve se meter nesta decisão. Não existem tarefas designadas para homens ou mulheres, existem apenas tarefas e pessoas interessadas ou com habilidade suficiente para realizá-las, independente do gênero.

    Parabéns pelo texto! :)
    Beijosss
    http://bookspoison.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. É infelizmente ainda tem aquela velha frase que mulher é sexo frágil. Sendo que já conseguimos provar que não somos não!
    É claro que em algumas situações não temos como nos comparar com o sexo masculino, porém nos dia de hoje ter esse pensamento é meio preconceituoso.
    Porém entendo o lado da mãe no ônibus, porque infelizmente os perigos na rua estão ai e uma mulher ainda não consegue se defender desses abusos.
    bjus
    http://www.palavras--encantadas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não entendo o lado dessa mãe no ônibus, pois não era uma situação de risco e ambas as crianças tinham a mesma idade. Obrigada pela visita :)

      Excluir
  3. Esse pensamento de mulher sexo frágil é tão medieval. As pessoas gostam de viver na ignorância porque é mais cômoda. É ridículo
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  4. Infelizmente ainda vivemos em uma sociedade machista e preconceituosa, onde temos que provar sempre e sempre que somos tão capazes quanto os homens... Concordo com você sobre lutarmos por nós... Se nós não fizermos ninguém mais o fara, não e verdade?

    beijos
    colecionando livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo! Devemos sempre lutar pela igualdade. Obrigada pela visita :)

      Excluir
  5. Concordo muito com o que vc disse e também acho válido o que a Ursulla colocou. Infelizmente algumas coisas ainda são mais perigosas para uma mulher fazer do que para um homem. E acho que um aspecto que prejudica muito essa luta é a "competição" entre as mulheres. Quantas vezes não ouvimos que "mulher é tudo falsa" ou que "amizade feminina é por interesse ou não é de verdade" ou ainda mulheres falando que "só tenho amigos homens, não me dou bem com outras mulheres"? Isso é muito triste, pois ao invés de nos unirmos para nos ajudar, acabamos lutando umas contra as outras. :(
    Achei muito pertinente seu post.

    Samara - Infinitos Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, devemos nos unir, mas toda essa competição é resultado de anos e anos de sociedade machista, sociedade que faz com que as próprias mulheres reproduzam esse pensamento... Obrigada pela visita ;)

      Excluir
  6. Oii, tudo bom?
    É verdade que ainda vivemos em uma sociedade muito machista. É lastimável uma mãe passar um conceito tão arcaico para sua filha, deste modo desestimulando-a a lutar por seus direitos e simplesmente se submeter. Infelizmente isso não é uma coisa fácil de se alterar, como todo e qualquer conceito já pré-estabelecido na sociedade. Mas é essencial que as mulheres se imponham, pois não faz sentido algum essa distinção entre os direitos de ambos os sexos.
    Um abraço
    Oficina do Leitor / Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, Daniel,e é isso que tento fazer aqui no blog, abrir os olhos das mulheres para que se unam e lutem por seus direitos.

      Excluir
  7. Não tenho uma opinião formada sobre isso. Não sou feminista, mas respeito quem seja desde que a mulher esteja lutando pra ter direitos iguais aos dos homens, e não acima dele. "Feministas" que já não querem os mesmos direitos, mas querem estar acima dos homens, aí eu já não respeito. Eu tenho um conceito diferente. Vou estudar, fazer faculdade, pretendo arrumar um emprego, quero casar e ter filhos. Tem mulheres que não gostam disso, mas respeito. Acredito que da mesma forma que você tem direitos, você também tem deveres, e por isso não entro nessa luta com as feministas. Não porque acho errado, mas porque não me identifico. Sou bem respeitada e minha mãe também, ela nunca foi tratada como uma inferior. Ela exerceu as mesmas profissões que homens e recebe igual a eles ou até mais o salário. Nunca tive esse problema e espero não ter.


    Abraços

    ResponderExcluir
  8. Oii, tudo bem?
    Esse é um assunto bem delicado.
    Assim como a Thai, não tenho uma opinião formada sobre isso e também respeito quem seja.
    Sei lá, é uma discussão que prefiro não opinar..
    Bjs

    http://a-libri.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Ouvir isso me causa uma enorme repulsão, afinal, ninguém é melhor que ninguém né? Assim como há grandes pensadores, há grandes pensadoras, assim como há grandes médicos, há grandes médicas... É assim vai! Isso é só machismo :/
    Cadalivroumahistoria.tumblr.com

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem?
    Eu sou a favor das mulheres conseguirem cada vez mais direitos, mas há muitos grupos de mulheres que se dizem feministas que só fazem coisas ridículas e acabam arruinando a imagem das mulheres que realmente lutam pelos seus direitos. Enfim, a mulher não é o sexo frágil, isso já está mais que comprovado, mas ainda temos uma longa jornada pela frente para conseguirmos mais direitos.

    Beijos :*
    Larissa - http://srtabookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...